Construção simbólica da região e invenção da identidade: sobre a narrativa didática de Sebastião Paraná

Maria Aparecida Leopoldino

Resumo


 Este trabalho trata da narrativa didática de Sebastião Paraná de Sá Sottomaio (1864-1938) presente no manual O Brasil e o Paraná, escrito originalmente em 1903 para uso das escolas primárias.  Sua ampla aceitação entre os colegas do Ginásio Paranaense e da Escola Normal e as inúmeras reimpressões que recebeu sugere como suas ideias estavam em consonância com os conhecimentos considerados socialmente necessários à época. Na análise observa-se que o livro escolar, adotado na Escola Normal, produziu um saber sobre a geografia e a história do estado e elaborou um conceito de região que pudesse, ao mesmo tempo, caracterizar as fronteiras territoriais e definir uma “identidade” ao Paraná. Na busca por figurar um discurso de construção identitária, o autor elegeu os elementos que se originam dos produtos cultivados no espaço paranaense (erva-mate), do caráter do “povo” paranaense (pinheiro), da atividade manufatureira que atrairia o imigrante laboroso (café). Conclui que o esforço do intelectual em buscar raízes para explicar a especificidade regional constituiu-se em tarefa cívica e compromisso social de diversos letrados brasileiros que viveram os anos finais do século XIX e as décadas iniciais do século XX.


Palavras-chave


História Regional, Sebastião Paraná, História da Disciplina, Identidade regional

Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia