Tradução, patriotismo e a economia política de Portugal Imperial na época Pombalina: as traduções de Les Aventures de Télémaque e dos Élemens du commerce

Marco E. L. Guidi, Monica Lupetti

Resumo


Este artigo oferece um estudo de duas traduções publicadas em 1765-1766 pelo mesmo autor, José Manuel Ribeiro Pereira, um pouco antes de ser nomeado secretário da Junta de Administração da Companhia Geral do Grão Pará e Maranhão, uma das empresas privilegiadas de comércio que tinha sido estabelecida pelo Marquês de Pombal em 1755. Os textos que Pereira traduziu foram Les Aventures de Télémaque, de Fénelon, um romance épico cheio de advertências políticas e econômicas, e Élémens du commerce, de Véron de Forbonnais. Em um país e uma época em que a maioria da discussão sobre economia política era um assunto privado ou da corte, essas traduções contribuíram com o debate público sobre as reformas econômicas introduzidas por Pombal no momento crucial em que, após a Guerra dos Sete Anos (1756-1763), a aliança reforçada com a Grã-Bretanha e uma mudança significativa em seus interesses comerciais pareciam exigir uma reformulação das estratégias comerciais e industriais portuguesas. A segunda edição das traduções de Télémaque, publicada por Pereira em 1784-1785, fez parte de uma segunda onda de debate público sobre a economia política, dessa vez conectada à questão fundamental do futuro das instituições criadas por Pombal, após sua demissão em 1777. Curiosamente, o paratexto das traduções de Pereira abre uma janela sobre o debate atual sobre os objetivos e métodos de tradução, revelando a natureza política e patriótica dessa atividade e seu isomorfismo ideológico com as políticas comerciais Pombalinas.


Texto completo:

PDF


 

 

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia